Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/08/19 às 16h45 - Atualizado em 13/08/19 às 15h26

? Oficinas

COMPARTILHAR

O Planetário de Brasília disponibiliza oficinas e experimentos com o objetivo de ensinar de forma lúdica e prática as teorias e fundamentos das áreas exatas (matemática, química, física e biologia) para que a crianças/ adolescentes aprendam experimentando.

  • Carrinho foguete:
  • Foguete de garrafa pet:
  • Geleca cósmica:
  • Nebulosa no pote
  • Origami:
  • Pintando os planetas
  • Pintura de Rosto
  • Planisfério
  • Relógio estelar

 

 

PLANISFÉRIO

 

Um planisfério é uma esfera celeste planificada que deixa à mostra apenas a parte do céu que é visível ao longo do ano em uma determinada região da Terra.

O objetivo desta oficina é a localização dos astros, principalmente constelações visíveis a olho nu no dia e horário de cada hemisfério.

 

Materiais necessários:

 

Impressões em papel A4 gramatura, tachas de latão, fita adesiva fina.

 

 

http://www.if.ufrgs.br/~fatima/planisferio/celeste/planisferio.html

 

 

RELÓGIO ESTELAR

 

Objetivo: Aprender como observar as horas a partir da constelação do Cruzeiro do Sul.  Nesta oficina vamos apresentar  construir um relógio, cujas horas serão lidas sobre um disco de papel com as 24 partes nele desenhadas e por uma um ponteiro móvel sobre a base na qual estão marcadas as 24 horas do dia. Quando a constelação for enquadrada no ponteiro, o mesmo mostrará que horas são.

 

 

CARRINHO FOGUETE e FOGUETE DE GARRAFA PET

O princípio de ação-reação, uma das três leis fundamentais da Dinâmica, explica o movimento dos foguetes e dos carrinhos -foguete. De acordo com essa lei, a toda ação corresponde uma reação de mesma intensidade e mesma direção, mas em sentido oposto. Isso faz com que o foguete e o carrinho sejam impulsionados para cima, no caso do foguete, e para frente, no outro caso.

 

 

Objetivo: Construir e lançar um carro e um foguete que atinja o maior alcance possível;

Observar os processos químicos e físicos envolvidos no lançamento de um foguete.

 

http://aebescola.aeb.gov.br/downloads/material/mao_na_massa_oficinas.pdf

 

Materiais necessários

 

Carrinho foguete: Papelão, 4 tampinhas de garrafa pet por carrinho, palitos de algodão doce, balão.

Foguete: 02 garrafas pet iguais, papelão e fita adesiva transparente larga, tesoura.

 

 

ORIGAMI

Objetivo: Ensinar as crianças através da técnica matemáticas de dobraduras a fazer naves espaciais e extraterrestres.

 

Materiais necessários:

 

Folhas A4 coloridas, réguas e canetinhas hidrocor

        

 

 

PINTANDO OS  PLANETAS

Objetivo: Conhecer e aprender um pouco de cada planeta do Sistema Solar e reproduzir o planeta preferido por cada criança.

 

Materiais necessários:

Tinta guache nas cores azul, vermelho, preto, branco, palitos de churrasco, pincéis finos ( cotonetes), bolas de isopor de 10cm de diâmetro.

 

   

 

 

PINTURA DE ROSTO

Objetivo: Entreter as crianças e adultos com pinturas relacionadas à astronomia.

 

Materiais necessários:

Tinta para rosto, pincéis tipo filete , glitter.

 

    

 

 

NEBULOSA NO POTE

 

Objetivo:  Explicar como são formadas as nebulosas, fazendo um ligação com a exposição da ESO e de alguns filmes exibidos na cúpula, onde a pessoa pode simular essa nuvem de gases, poeira e plasma com materiais simples e levar o seu próprio berço de estrelas pra casa.

 

    

 

https://climatologiageografica.com/tutorial-como-fazer-nebulosa-na-garrafa/

 

GELECA CÓSMICA

 

Objetivo: Simular a formação de galáxias e nebulosas através de um experimento químico onde se produz uma massa gosmenta, colorida e brilhosa que pode ser manipulada por crianças e adultos.

 

https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/fazendo-uma-geleca-cola-borax.htm

http://www.justrealmoms.com.br/diy-aprenda-fazer-geleca-cosmica-em-apenas-3-passos1/

 

 

 

 

Exposição da ESO

 

No primeiro andar encontra-se o salão principal onde ficam expostas as exposições principal, e, no subsolo uma exposição secundária.

O ano de 2012 marca o quinquagésimo aniversário da fundação do Observatório Europeu do Sul (ESO). O ESO é a mais importante organização europeia intergovernamental para a pesquisa em astronomia e é o observatório astronômico mais produtivo do mundo. O ESO é  financiado por 15 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Brasil, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça. O ESO destaca-se por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronômicos terrestres de ponta, que possibilitam aos astrônomos importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação nas pesquisas astronômicas. O ESO mantém em funcionamento três observatórios de ponta, no Chile: La Silla, Paranal e Chajnantor. No Paranal, o ESO opera  o Very Large Telescope, o observatório astronômico óptico mais avançado do mundo e dois telescópios de rastreio. O VISTA, o maior telescópio de rastreio do mundo que trabalha no infravermelho e o VLT Survey Telescope, o maior telescópio concebido exclusivamente para mapear os céus no visível. O ESO é o parceiro europeu do revolucionário telescópio  ALMA, o maior projeto astronômico que existe atualmente. O ESO está planejando o European Extremely Large Telescope, E-ELT, um telescópio de 39 metros que observará na banda do visível e infravermelho próximo. O E-ELT será “o maior olho no céu do mundo”.

 

O Observatório Europeu do Sul (ESO) completou 50 anos. Para comemorar, algumas das mais belas fotos já capturadas pelos seus telescópios gigantescos foram divulgadas. Conheça um pouco da história e veja as imagens abaixo:

 

A ESO é uma organização intergovernamental de pesquisa em astronomia. A princípio, o objetivo era instalar observatórios no hemisfério Sul, o que ampliaria o conhecimento e permitiria a visualização de coisas novas, como as Nuvens Magelânicas. Em 1962, astrônomos da Bélgica, França, Alemanha, Holanda e Suécia uniram esforços para tornar isto possível.

 

Em 2012, 50 anos depois, 15 países se juntaram a ESO. O Brasil, inclusive, entrou para o time em 2010, sendo o primeiro país fora da Europa a participar. Atualmente a organização conta com aproximadamente 700 funcionários espalhados entre a Bélgica, Alemanha, França, Holanda, Suécia, Suíça, Itália, Portugal, Reino Unido, Finlândia, Espanha, República Tcheca, Áustria e Brasil.

 

Os astrônomos contam com oito telescópios espalhados pelo hemisfério sul, como os gigantescos  Very Large Telescope e o Atacama Large Millimeter Array (ALMA), localizados no Chile.

 

O complexo do observatório inclui os telescópios NTT (sigla de Novo telescópio Tecnológico), VLT (Telescópio Muito Grande), ALMA (Telescópio do Atacama) e E-ELT (Telescópio Europeu Extremamente Grande). As imagens abrangem a Via Láctea, galáxias distantes, nebulosas, possíveis buracos negros, entre elementos do espaço.